segunda-feira, 3 de julho de 2017

Dezanove feridos nas largadas do Colete Encarnado




As esperas e largadas de toiros do Colete Encarnado originaram, este ano, 19 feridos, dois dos quais em estado considerado grave. As corporações de bombeiros do concelho de Vila Franca de Xira responsáveis pelo sistema de assistência às dezenas de ocorrências que se registam durante a Festa foram chamadas para socorrer seis feridos na largada de sexta-feira, um dos quais em estado considerado grave. Um homem que foi colhido próximo da Praça de Toiros Palha Blanco e que sofreu uma perfuração numa perna. Já na largada de sábado foram socorridos nove feridos, um dos quais em estado grave, um jovem colhido na Rua Serpa Pinto (ligação com a Rua dos Bombeiros), que sofreu uma perfuração na zona da bacia.
Já na largada de domingo há registo de quatro feridos leves, um dos quais necessitou do apoio da viatura médica de emergência e reanimação (VMER) de Vila Franca de Xira.
No total dos três dias do Colete Encarnado, os bombeiros foram chamados a assistir perto de meia centena de situações, relacionadas com colhidas, quedas, más-disposições ou consumo excessivo de álcool.



Saiba mais na edição de 12 de Julho do Voz Ribatejana           

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Vila Franca de Xira já vive o Colete Encarnado




A edição 2017 do Colete Encarnado decorre de 30 de Junho a 2 de Julho e tem contornos especiais, uma vez que a grande festa popular vila-franquense completa 85 anos de existência. Por outro, o Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca de Xira, um dos principais emblemas da cidade, está, igualmente, a comemorar os seus 85 anos. Razões mais do que suficientes para que o programa deste ano se apresente com ambições reforçadas, tanto mais porque se adivinha lotação esgotada (facto raro nos últimos anos) no domingo, na Praça de Toiros Palha Blanco, numa corrida em que o grupo de forcados de Vila Franca e o matador espanhol Juan Jose Padilla são dois dos grandes protagonistas.
“Oitenta e cinco anos são, naturalmente, uma data importante. E esta longevidade tem que ser assinalada com a dignidade devida”, diz Alberto Mesquita, presidente da Câmara vila-franquense, sublinhando que “o Colete Encarnado nasceu para ajudar os bombeiros, em 1932 e, depois, teve este desenvolvimento sempre muito focado no campino", figura central da Festa. Este ano o campino homenageado é Casimiro Diogo, samorense de 78 anos. No sábado haverá, também, cerimónias junto ao Monumento ao Campino e corridas e demonstrações de campinos junto à Praça Palha Blanco.
"Depois há uma série de actividades de animação e há um espectáculo, no domingo, a finalizar, que foi concebido para este momento. Um projecto musical liderado por Telmo Lopes, que já esteve ligado a vários trabalhos de Filipe la Féria. Acho que vai ser uma forma muito relevante de terminarmos as festas”, prevê Alberto Mesquita.
Já nesta sexta-feira, a Festa arranca com espera e largada de toiros (18h00), concentração e desfile de tertúlias e colectividades (20h00), Missa Rociera (21h30), fado e animação itinerante.

Saiba mais nas edições de 28 de Junho e de 12 de Julho do Voz Ribatejana    

Já está nas bancas da Edição Nº. 167 do Voz Ribatejana


Banco Popular quer comprar Vilafranca Centro




O Banco Popular está interessado na compra de boa parte dos espaços do Vilafranca Centro e uma empresa do grupo ligada à gestão de activos imobiliários apresentou uma proposta, no valor de 2, 53 milhões de euros, para comprar 72 lojas e os espaços de cinema e de Imax do antigo centro comercial vila-franquense. No leilão, realizado num hotel de Lisboa pela leiloeira Onefix, não foi apresentada mais nenhuma licitação. Ao que tudo indica, a proposta do Banco Popular acabará por ser aceite pelo administrador de insolvência e pelos credores da Circuitos, empresa do grupo Obriverca que construiu e detinha boa parte do centro comercial.
A Circuitos, Lda entrou em processo de insolvência em 2016, insolvência que foi requerida exactamente pelo Banco Popular, que possui um balcão a funcionar na parte exterior do Vilafranca Centro e que era um dos principais credores da Circuitos. Entre os credores contam-se, também, o Novo Banco, a empresa de segurança PSG e os Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento e Vila Franca de Xira.
Por decisão da assembleia de credores (Fevereiro), os bens da Circuitos foram colocados à venda em leilão. Incluem 112 lojas e arrecadações e os espaços dos cinemas e da sala IMAX do Vilafranca Centro. Para o leilão foi definido um preço-base global de 2, 926 milhões de euros, mas o anúncio admitia, também, a venda individual de cada um dos 112 lotes (lojas, arrecadações e cinemas).

Na tarde de dia 23, apenas a empresa do grupo Banco Popular registou formalmente uma oferta de 2, 563 milhões de euros pelas lojas e cinemas do Vilafranca Centro, mas não manifestou interesse na maior parte das arrecadações. 

Saiba mais nas edições de 28 de Junho e de 12 de Julho do Voz Ribatejana

Já está nas bancas a Edição de Junho da revista Vida Ribatejana


segunda-feira, 24 de abril de 2017

Região celebra 43 anos da Revolução de Abril


O 43º. aniversário da “Revolução dos Cravos” está a ser assinalado com múltiplas actividades organizadas na região. Já na manhã de hoje, no Largo da Câmara de Vila Franca, alunos da Escola Básica Vasco Moniz foram os protagonistas da iniciativa “Cantar Abril”. Ainda hoje, na sede de concelho, a Junta de Freguesia promove um espectáculo comemorativo. Também na noite desta segunda-feira, a Junta da União de Freguesias de Alverca e Sobralinho organiza espectáculos nas instalações da Sociedade Filarmónica Recreio Alverquense (SFRA) e do Centro de Convívio Álvaro Pinheiro. No primeiro participam os grupos Alborca e Unidos do Baixo Alentejo e haverá, depois, baile com Paulo Pereira. No Sobralinho actuam o grupo de ginástica da ARPIFS e de cavaquinhos da ARPIA e haverá, também, momento de poesia e baile com João Louro.
A Junta da Castanheira do Ribatejo e Cachoeiras celebra, igualmente, o aniversário da Revolução de Abril. Na noite deste dia 24 haverá poesia, baile e sessão solene na Castanheira. Ainda hoje haverá actividades nos principais lugares da união de freguesias, com sevilhanas, bailes, sessão solene e fogo-de-artifício nas Quintas e nas Cachoeiras. Na Vala do Carregado realiza-se, também, um baile, que culminará com sessão solene fogo-de-artifício. Amanhã haverá “Pedalada da Liberdade” na Castanheira e caminhada e futsal nas Cachoeiras.
Já em Vialonga, a Junta de Freguesia promove, hoje, um concerto nas instalações da Casa do Povo de Vialonga. Na manhã de dia 25, a cerimónia de hastear da bandeira em Vialonga será acompanhada pela Banda da Associação Humanitária de Bombeiros da Póvoa de Santa Iria e, à noite, haverá concerto com a Orquestra de Vialonga na Sociedade Recreativa da Granja.
Nas comemorações concelhias realce, no dia 25, para a sessão solene promovida pela Assembleia Municipal de Vila Franca na Fábrica das Palavras (10h00). Antes haverá cerimónia de deposição de uma coroa de flores junto ao Monumento de Homenagem aos Combatentes. Depois da sessão solene tem lugar uma visita ao barco varino “Liberdade”, recentemente beneficiado com uma “grande intervenção de requalificação”. Segue-se (12h00) a inauguração das novas instalações da Assembleia Municipal vila-franquense, que passará a funcionar no edifício da antiga biblioteca municipal. Para a tarde de dia 25 estão marcadas a inauguração do campo de futebol de praia e da zona de lazer da Urbanização “Quinta da Graciosa”, no Sobralinho, e a assinatura de protocolos entre a Câmara e o movimento associativo do concelho.

Saiba mais nas edições de 19 de Abril e de 3 de Maio do Voz Ribatejana



domingo, 20 de novembro de 2016

Vilafranquense "tomba-gigantes" elimina Paços de Ferreira da taça


A União Desportiva Vilafranquense alcançou, esta tarde, um feito importante na história do clube, eliminando o primodivisionário Paços de Ferreira da Taça de Portugal e conseguindo, pela primeira vez, o apuramento para os oitavos de final da segunda prova mais importante do futebol português. A UDV, agora treinada pelo regressado Filipe Coelho (substituiu, durante a semana passada, José Sousa), bateu a equipa de Paços de Ferreira por 1-0, com um golo do avançado Marocas à passagem do minuto 73.
A equipa ribatejana jogou quase sempre taco a taco com os nortenhos e criou mesmo mais oportunidades de golo, justificando a vitória e a passagem à quinta eliminatória da Taça.
No final, a festa foi grande no Campo do Cevadeiro e os olhos estão, agora, postos no sorteio dos oitavos de final, marcado já para esta quinta-feira. Em prova estão 16 equipas, das quais apenas três jogam no Campeonato Nacional de Seniores (Vilafranquense, Torreense e Real). Para a União Desportiva Vilafranquense o principal objectivo será encontrar nesta próxima fase da Taça um dos grandes do futebol português ainda em prova.

Saiba mais na edição de 30 de Novembro do Voz Ribatejana    

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Recolha de lixo dá polémica entre Câmara e Sindicato




As dificuldades de funcionamento do serviço municipal de recolha de lixo voltam a dar polémica. O presidente da Câmara de Vila Franca de Xira notou que houve uma fase em que muitos dos motoristas estiveram ausentes por doença ou licença parental e confessou que já tem pensado se valerá a pena manter este serviço com recursos internos. O Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) reagiu, acusando os executivos socialistas da Câmara vila-franquense de “teimarem em desinvestir” neste sector.
Nuno Libório, vereador da CDU, disse, numa sessão camarária de Outubro, que teve conhecimento de “novos problemas relacionados com a recolha de resíduos sólidos” e sugeriu que a Câmara deveria fazer um levantamento para ver se os pontos de recolha se coadunam com as necessidades existentes e deveria avaliar os circuitos de recolha.
O presidente da Câmara, Alberto Mesquita, reagiu e confessou que tem reflectido sobre toda esta questão. “Às vezes ponho-me a pensar se valerá a pena termos recolha de lixo feita por recursos internos. Com a recolha feita externamente, nunca faltam as pessoas e as viaturas estão lá sempre. Temos condições internas para o fazer, estamos a compor mais equipas, contratámos mais pessoas, mas houve ali um período em que parece que foi uma doença que deu aos motoristas, tudo adoeceu, tudo foi de licença parental. É uma situação que não é possível resolver”, constatou o autarca, reafirmando que a recolha vai continuar a ser feita com meios internos da Câmara, mas que “às vezes deparamo-nos com situações destas e reflectimos se não seria melhor fazer como outras partes fizeram, recorrendo a serviços externos”.
O STAL não gostou das declarações de Alberto Mesquita e reagiu, já esta semana, com uma carta aberta, mostrando-se a Direcção Regional de Lisboa do Sindicato “assombrada” com as palavras “alegadamente” proferidas pelo edil. “Nos últimos mandatos à frente da Câmara Municipal, os vários executivos eleitos pelo seu Partido teimaram em desinvestir, deixando que um sector tão importante para a população como é o da recolha de resíduos se fosse degradando, quer em número de trabalhadores, quer em equipamento necessário à função”, acusa o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local.

Saiba mais na edição de 16 de Novembro do Voz Ribatejana



quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Assaltantes rebentam e “limpam” caixa multibanco na Castanheira




Quatro indivíduos encapuzados assaltaram, esta madrugada, a caixa multibanco instalada no Lote 2 da Rua da Saibreira, na Castanheira do Ribatejo. Os moradores do prédio foram alertados por uma forte explosão, cerca das 4h50, e algumas testemunhas ainda viram os quatro encapuzados afastarem-se em direcção a uma viatura estacionada nas proximidades. Um deles transportava a “gaveta” onde é acondicionado o dinheiro da caixa. A quantia roubada ainda não foi apurada, mas tudo aponta para largas dezenas de milhares de euros, uma vez que a caixa multibanco tinha sido recarregada na véspera do assalto.
Um dos moradores do prédio contou, ao Voz Ribatejana, que despertou com o enorme barulho da explosão. Ainda pensou que pudesse ser o rebentamento de um pneu na vizinha Estrada Nacional 1, mas percebeu rapidamente que teria que ser outra coisa. Não chegou a ver os assaltantes, mas sabe que as vizinhas do primeiro andar viram os quatro indivíduos afastarem-se do local e entrarem numa viatura. A caixa estava colocada na antiga agência do Montepio (desactivada no início deste ano), onde os assaltantes também partiram várias portas e placas de vidro. No resto do prédio não há registo de danos. A GNR tomou conta da ocorrência e no local já esteve, também, uma equipa de investigação da Polícia Judiciária.

Saiba mais na edição de 19 de Outubro do Voz Ribatejana